Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia - Mostrando itens por marcador: oasisbr Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Sala de Imprensa > Notícias > Delegação internacional da Rede Cariniana participa do IV SINPRED
Início do conteúdo da página

O pesquisador Washington Segundo, coordenador do Laboratório de Metodologias de Tratamento e Disseminação da Informação do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict), participou de uma live sobre o Portal Brasileiro de Publicações Científicas em Acesso Aberto (oasisbr). O evento ocorreu no dia 04 de setembro e contou com transmissão ao vivo pelo canal Youtube Plurissaberes, da Biblioteca de Ciências Humanas da Universidade Federal do Ceará (UFC). A apresentação do pesquisador foi mediada por Clediane Guedes, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Ao longo da live, Washington Segundo trouxe debates fundamentais sobre o movimento do Acesso Aberto, detalhou o funcionamento do oasisbr e da Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD) e reforçou a importância do papel das agências de fomento para o fortalecimento e o crescimento da Ciência Aberta. Como explicou Washington, o oasisbr é formado por uma rede de mais de 500 instituições, as quais agregam mais de 1250 fontes e aproximadamente 2,6 milhões de documentos, reunindo repositórios institucionais, bibliotecas locais de teses e dissertações e revistas eletrônicas de acesso aberto. Atualmente, o Portal Brasileiro de Publicações Científicas em Acesso Aberto já está disponibilizando dados de pesquisa agregados (veja aqui).

Além disso, o pesquisador explicou sobre a dimensão, a descrição, os formatos e o ciclo de vida dos dados – os quais devem ser diferenciados das publicações científicas. Conforme o pesquisador, um repositório de dados de pesquisa é relevante para instituições por possibilitar o compartilhamento e a reutilização dos dados, bem como sua curadoria, visibilidade, gestão e preservação. Além disso, um repositório de dados de pesquisa pode proporcionar economia de recursos.

Entre vários aspectos debatidos, Washington Segundo detalhou como o Ibict tem atuado, nos últimos anos, no suporte à criação de repositórios de dados de pesquisa, nas capacitações e no desenvolvimento, adaptação e difusão de diretrizes. Por fim, houve na palestra on-line do pesquisador destaque para a formação de parcerias, como, por exemplo, a existente com a Rede Federada Latino-Americana de Repositórios Institucionais de Documentação Científica (LA Referencia).

A live está disponível integralmente no Canal Plurissaberes. Clique abaixo para assistir.

 


Patrícia Osandón
Núcleo de Comunicação Social do Ibict

Publicado em Notícias

O pesquisador Washington Segundo, coordenador do Laboratório de Metodologia de Tratamento e Disseminação da Informação do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (COLAB/Ibict), participou, no último dia 16, do Seminário Internacional sobre Gestão de Dados de Pesquisa em Saúde GOFAIR Brasil Saúde e GOFAIR Brasil Saúde Enfermagem.

Washington Segundo foi responsável por ministrar o módulo "Repositórios de dados de pesquisa no contexto da COVID-19", em parceria com Viviane Veiga, professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Informação e Comunicação em Saúde (PPGICS/ICICT/Fiocruz) e coordenadora da Rede de Bibliotecas Fiocruz e da Rede GO FAIR Brasil Saúde.

Durante a palestra on-line, Washington Segundo e Viviane Veiga apresentaram debates envolvendo os repositórios de dados no Brasil e no mundo e defenderam a importância da Ciência Aberta para o avanço das pesquisas brasileiras. Como detalhou Viviane Veiga, a ciência vive um momento particular por causa da necessidade do compartilhamento de dados sobre a COVID-19 devido às exigências dos periódicos, dos organismos da saúde e das agências de fomento.

“O compartilhamento de dados, no momento atual, é fundamental para salvar vidas. Além disso, o compartilhamento colabora para prevenir ou reduzir a possibilidade de perda de conhecimento. Precisamos repensar o processo científico e ampliar a visibilidade e o impacto da ciência. Ninguém faz ciência sozinho”, pontuou Viviane Veiga durante a apresentação.

Washington Segundo explicou a necessidade de diretrizes para o compartilhamento de dados de pesquisa, demanda que tem sido realizada a partir da parceria estabelecida entre membros de um grupo de trabalho composto por várias instituições brasileiras. A partir do 4º Plano de Ação Nacional para Governo Aberto, lançado em outubro de 2018 no âmbito da Parceria para Governo Aberto (OGP), estas instituições têm trabalhado para a criação de uma Rede Federada de Repositórios de Dados de Pesquisa.

Como pontuou Washington, a criação da rede envolve três grandes questões: a existência de um portal agregador dos dados, a disponibilidade dos próprios repositórios e protocolos de interoperabilidade entre o portal agregador e os repositórios. A proposta é que o Portal Brasileiro de Publicações Científicas em Acesso Aberto (oasisbr) seja o mecanismo agregador dos dados.

“Estamos conseguindo avançar para uma nova fase na qual o oasisbr será um agregador tanto de repositórios de publicações científicas, teses e dissertações, quanto também de repositórios de dados de pesquisa”, explicou Washington Segundo. A fase mencionada pelo pesquisador está prevista para ocorrer a partir de agosto de 2020.

Além do Ibict e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), estão envolvidos de maneira direta ou indireta na criação da Rede Federada de Repositórios de Dados de Pesquisa as seguintes instituições: Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), Associação Brasileira de Editores Científicos (ABEC), Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), Open Knowledge Foundation Brasil, Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) e Universidade de Brasília (UnB).


Patrícia Osandón
Núcleo de Comunicação Social do Ibict

Publicado em Notícias

Cientistas brasileiros e de todo o mundo têm trabalhado intensamente desde que a COVID-19 atingiu a humanidade. Entre as evidências da dedicação dos cientistas está o aumento no número de publicações voltadas especificamente para a COVID-19 em vários portais de periódicos, muitos dos quais tornaram-se abertos para a disseminação do conhecimento durante a pandemia.

Uma dessas iniciativas de disseminação do conhecimento é o Portal Brasileiro de Publicações Científicas em Acesso Aberto, o oasisbr, desenvolvido pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict). No oasisbr, que é pautado pelos princípios da Ciência Aberta, é possível pesquisar sobre tudo.

Na busca geral sobre o termo "coronavírus", por exemplo, o usuário pode encontrar quase 300 resultados. O usuário que realizar uma busca específica pelo termo COVID-19 obterá resultados de publicações totalmente voltadas para o assunto. Entre os subtemas da COVID-19 discutidos pelas publicações estão questões relacionadas à doença, à saúde pública, às estratégias para a educação a distância durante a pandemia, entre outros (clique aqui para ler a busca específica).

O Portal Brasileiro de Publicações Científicas em Acesso Aberto é um mecanismo de busca multidisciplinar que permite o acesso gratuito à produção científica de autores vinculados a universidades e institutos de pesquisa brasileiros. Por meio do oasisbr é possível também realizar buscas em fontes de informação portuguesas.

Clique aqui para conhecer o Portal Brasileiro de Publicações Científicas em Acesso Aberto.

Ibict na liderança da Ciência Aberta contra a COVID-19

Além do portal oasisbr, o Ibict possibilita à comunidade científica várias formas de acesso ao conhecimento sobre a COVID-19. Em março, o Ibict lançou o Diretório de Fontes de Informação Científica de Livre Acesso sobre o Coronavírus, que reúne as fontes de informações científicas em acesso aberto. Também foi lançado um mapa interativo com os dados da Covid-19 no Brasil, na plataforma Visão, desenvolvida pelo Ibict. Além disso, o Ibict deve lançar uma plataforma em parceria com o Ministério da Ciência e Tecnologia (MCTIC) e um repositório em colaboração com a Associação Brasileira de Editores Científicos (Abec).

Parte dessas ações são realizadas dentro do comprometimento do Ibict com a disseminação da Ciência Aberta no Brasil. A Ciência Aberta é uma prática científica que visa uma transformação no modus operandi da pesquisa científica. Ela pressupõe a abertura de todo o processo científico, que deve ser feito de modo transparente e colaborativo. A Ciência Aberta inclui o compartilhamento dos dados de pesquisa, das publicações, metodologias, ferramentas e softwares utilizados, possibilitando sua reutilização e replicabilidade por outros pesquisadores. Além disso, também inclui o conceito de Ciência Cidadã, em que o engajamento da sociedade no processo científico é valorizado.


Texto: Patrícia Osandón
Arte: Andréa Fleury

Núcleo de Comunicação Social do Ibict

Publicado em Notícias

Imagine um portal onde é possível encontrar informações confiáveis e embasadas cientificamente sobre tudo: desde as questões que mais têm alertado o mundo sobre saúde, como o coronavírus e a dengue, até paixões tipicamente brasileiras, como o carnaval e o futebol.

Imaginou? Bom, esse portal já existe e é uma iniciativa brasileira liderada pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict). Trata-se do Portal Brasileiro de Publicações Científicas em Acesso Aberto - oasisbr, que permite o acesso gratuito à produção científica brasileira de autores brasileiros vinculados às universidades e institutos de pesquisa.

Uma procura no oasisbr sobre o termo “carnaval”, por exemplo, gera mais de mil resultados, que contemplam, em sua maioria (veja lista completa no link abaixo), dissertações, artigos e teses, além de relatórios, capítulos de livros e outros tipos de documentos.

A pesquisa sobre carnaval no oasisbr indica que quase todos os estudos foram escritos em português e discutem, direta ou indiretamente, questões relacionadas à cultura popular, ao turismo e a valorização das comunidades locais. Também são discutidos assuntos sobre carnaval relacionados à cadeia produtiva das celebrações, segurança pública, vigilância epidemiológica e questões de gênero e raça em diversas regiões do país.

Para conhecer as publicações brasileiras publicadas no oasisbr que discutem questões relacionadas ao carnaval clique aqui.

Sobre o portal oasisbr

O Portal brasileiro de publicações científicas em acesso aberto - oasisbr é um mecanismo de busca multidisciplinar que permite o acesso gratuito à produção científica de autores vinculados a universidades e institutos de pesquisa brasileiros. Por meio do oasisbr é possível também realizar buscas em fontes de informação portuguesas.

Inserido no contexto do Movimento em favor do Acesso Aberto à Informação Científica, os objetivos do oasisbr são contribuir para o aumento da visibilidade da produção científica e brasileira e de seus pesquisadores, nacional e internacionalmente; oferecer à comunidade científica brasileira acesso facilitado, qualificado e rápido a toda informação científica brasileira disponível em arquivos digitais em acesso aberto, entre outros.

Acesse o portal: http://oasisbr.ibict.br/vufind/.

 

Texto: Núcleo de Comunicação Social do Ibict
Foto de capa: Roberto Tostes/FreeImages

Publicado em Notícias
Fim do conteúdo da página