Essa pagina depende do javascript para abrir, favor habilitar o javascript do seu browser! Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Sala de Imprensa > Notícias > The British Museum recorre ao software livre Koha para gerenciar bibliotecas
Início do conteúdo da página

No programa “Bate-papo Ciência e Tecnologia do Dia a Dia” de 16 de junho, o ministro Marcos Pontes anunciou a atividade Caça Asteroide, promovida numa parceria entre o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e o International Astronomical Search Collaboration (IASC/NASA), com apoio do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict), por meio do Canal Ciência.  

O objetivo da atividade, divulgada no portal Ciência em Casa MCTI, era selecionar equipes para a missão de encontrar asteroides a partir de imagens captadas por telescópios que seriam distribuídas aos participantes por meio do software Astrometrica, do IASC.

A iniciativa obteve tanto sucesso, que recebeu 477 equipes inscritas. Desse total, 20 foram selecionadas, incluindo uma dos Estados Unidos, para o treinamento realizado na última sexta-feira, dia 26, pela professora e coordenadora-geral de Popularização da Ciência no MCTI, Silvana Copceski Stoinski.

De acordo com Silvana, o processo tem sido exitoso. “As equipes estão se saindo muito bem e todos estão ativos, compartilhando cada experiência e cada asteroide encontrado”, comemora a coordenadora.

Silvana participa das campanhas de pesquisa de asteroides do IASC com seus alunos, no município de Tangara da Serra (MT), desde 2017. No treinamento, ela explicou todo o processo da atividade, incluindo um passo-a-passo de como utilizar o Astrometrica, que serve como base para a busca de imagens captadas por telescópios e é essencial na descoberta dos asteroides.

O evento teve ainda a participação do astrônomo Patrick Miller, coordenador do IASC, que falou sobre a importância da descoberta de asteroides, sobretudo os mais próximos da Terra, entre Marte e Júpiter. “O IASC é um projeto que procura por estes asteroides que podem atingir o planeta, como aconteceu há 65 milhões de anos, destruindo os dinossauros”.

Reconhecido como um programa internacional de Ciência Cidadã, o IASC existe desde outubro de 2006. Foi fundado na Hardin-Simmons University (Texas/EUA) com apenas cinco escolas participantes e, atualmente, agrega mais de 2.200 escolas espalhadas por 80 países, reunindo pesquisadores e estudantes interessados em astronomia, desde o ensino médio até a universidade.

As turmas têm até o dia 10 de julho para concluírem a primeira fase de análise das imagens e envio ao IASC. Devido ao alto índice de inscrições, Silvana comenta a possibilidade de abrir um novo processo seletivo. “Faremos o possível para atender a todas as equipes”, finaliza.

Lucas Guedes
Núcleo de Comunicação Social do Ibict

Publicado em Notícias

No mês de maio, o Canal Ciência do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict) lançou, em conjunto com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), o desafio da semana para escolha dos mascotes do Canal e do Portal Ciência em Casa MCTI.

A ideia é que estes mascotes sejam os personagens das aventuras e desafios que envolvem a divulgação de descobertas e produtos da ciência e das inovações tecnológicas no Brasil.

Para escolha destes personagens, o Canal divulgou uma enquete para que o público pudesse escolher entre três avatares de garotas e três de garotos, em que os mais votados formariam a dupla que, futuramente, será acompanhada de um robô nas aventuras durante o ano de 2020.

A enquete recebeu 196 votos, sendo 85 (43,4%) para a menina e 91 (46,4%) para o menino vencedor. O restante dos votos foi dividido entre os outros mascotes disponíveis.

Mascotes escolhidos pelo público

                                                                                            Mascotes escolhidos pelo público

A partir de agora, os dois mascotes serão protagonistas das próximas animações e porta-vozes na divulgação das ações temáticas do Canal Ciência e do portal Ciência em Casa MCTI.

O portal Ciência em Casa MCTI conta com o apoio do Ibict desde quando foi lançado, em abril deste ano. Em consonância com o que o Ibict já faz por meio do Canal Ciência, projeto da Coordenação de Redes e Serviços de Informação de Novos Produtos (CORES), o portal apresenta atividades científicas, jogos e informações destinadas a levar à população o conhecimento científico de forma lúdica e divertida.

Para saber mais sobre esta e outras ações do portal, clique aqui.

Lucas Guedes
Núcleo de Comunicação Social do Ibict

Publicado em Notícias

O ministro Marcos Pontes anunciou nesta terça-feira (16/06), durante o Bate-papo Ciência e Tecnologia do Dia a Dia, o lançamento da atividade “Caça Asteroides”, promovida em parceria entre o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e o International Astronomical Search Collaboration (IASC/NASA), com apoio do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict).    

A atividade está disponível no portal Ciência em Casa MCTI, lançado em abril, que traz parte do conteúdo do Canal Ciência do Ibict, além de ações de outras instituições ligadas ao ministério, como jogos, enquetes, vídeos educativos e desafios apresentados de forma lúdica e divertida para alunos e professores de ensino fundamental e médio que estão em casa no período de isolamento.

Hélia Chaves, coordenadora de Redes de Serviços de Informação de Novos Produtos do Ibict (CORES), explica que o portal é um trabalho de parceria com o ministério, que agrega toda experiência de divulgação científica do Canal Ciência acumulada nos últimos 18 anos.

O desafio lançado pelo Ciência em Casa MCTI esta semana consiste na seleção de equipes cuja missão será encontrar asteroides. A busca vai ocorrer por meio de imagens captadas por potentes telescópios e que serão distribuídas aos participantes por meio do aplicativo Astrometrica, do IASC, instituto coordenado pelo astrônomo Patrick Miller.

As inscrições estão abertas desde o dia 16 e vão até o dia 25 de junho. Para participar é preciso preencher um formulário (disponível aqui) e seguir as instruções. Qualquer pessoa pode formar sua equipe (com até 5 participantes), desde que o líder seja maior de 18 anos.

Ao todo, 15 equipes serão selecionadas e participarão de um treinamento a ser realizado no dia 26 de junho, pela coordenadora-geral de Popularização da Ciência do MCTI e bolsista do IASC, Silvana Copceski. Todos os participantes receberão um certificado internacional emitido pelo IASC e pelo MCTI com a assinatura do Ministro Marcos Pontes.

Confira o vídeo explicativo da atividade abaixo:

 

Lucas Guedes
Núcleo de Comunicação Social do Ibict

Publicado em Notícias

O Canal Ciência do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict) acaba de lançar em conjunto com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), nesta terça-feira (19/05), uma novidade para aumentar ainda mais a interação entre a plataforma Ciência em Casa IBICT/MCTIC e o público: o Desafio da Semana

Trata-se de um novo formato dentro do projeto Ciência em Casa MCTIC, em que, a cada semana, um novo desafio será proposto, sempre com temas ligados à ciência e tecnologia, com uma linguagem didática e divertida.

Inaugurando o desafio desta semana, o Canal lançou uma enquete para escolha de mascotes que serão os principais personagens das aventuras e desafios que envolvem a divulgação de descobertas e produtos da ciência e das inovações tecnológicas no Brasil.

Entre as opções disponíveis, o público poderá escolher entre três avatares de garotas e três de garotos. Os mais votados formarão a dupla de mascotes que, futuramente, serão acompanhadas de um robô, uma espécie de tutor das figuras nas aventuras.

Segundo Wagner Fischer, responsável pelo Canal Ciência do Ibict, os mascotes serão adaptados de acordo com a dinâmica das ações do Canal. “Um dia eles podem se vestir de astronauta, outro dia de antropólogo, médico, cientista de laboratório e assim por diante”.

Depois do resultado desta tarefa, serão divulgadas novas enquetes, desta vez para definição dos nomes dos mascotes, dando continuidade na história que as personagens irão protagonizar a cada semana.

Excepcionalmente, o desafio desta semana ficará disponível até o dia 1 de junho e a expectativa é de que haja prêmios para os próximos desafios, principalmente os que envolverem concursos.

Clique aqui para participar do desafio e escolher os mascotes do Canal!

Lucas Guedes
Núcleo de Comunicação Social do Ibict

Publicado em Notícias

O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) lançou o site Ciência em Casa MCTIC, um espaço que traz atividades científicas, jogos e informações destinadas a levar à população o conhecimento científico de forma lúdica e divertida.

O anúncio da ação, que conta com o apoio do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict), foi feito na tarde de ontem (14/04) pelo ministro astronauta Marcos Pontes, na coletiva de imprensa cedida no Palácio do Planalto, em Brasília.

Para o ministro, o site pode contribuir para a educação científica durante a quarentena, uma vez que as crianças podem usufruir de seus atrativos durante o tempo em que estiverem em casa. “É uma boa maneira para se divertir e aproveitar para conhecer mais sobre Ciência e Tecnologia".

A diretora do Ibict, Cecília Leite, diz que está muito satisfeita com a contribuição do Ibict neste momento de pandemia, pois as atividades propostas podem ajudar especialmente as pessoas que estão em casa sem acesso presencial à escola.“ O Ibict, junto ao ministério, tem exercido seu papel na disseminação da divulgação científica e deixado um legado positivo no que diz respeito à Ciência e Tecnologia neste tempo de quarentena”, afirma.

Tiago Braga, coordenador-geral de Tecnologias da Informação e Informática (CGTI) explica que o site possui uma navegação linear e direta que permite o acesso de qualquer conteúdo com apenas dois cliques. “Toda a parte de concepção e desenvolvimento tecnológico foi construído pelo Ibict no intuito de permitir que as pessoas possam acessar o conteúdo a partir de qualquer dispositivo conectado à internet, não requer nenhum tipo de acesso especial, como logins e senhas”.

Para Wagner Fischer, responsável pelo Canal Ciência do Ibict, o objetivo do Ciência em Casa MCTIC é reverberar muito do que o Ibict já faz por meio do Canal, projeto da Coordenação de Redes e Serviços de Informação de Novos Produtos (CORES) que cedeu grande parte de seu conteúdo para o novo site, podendo levar divulgação científica e tecnológica de forma mais interessante para alunos e professores de ensino fundamental e médio que estão em casa.

O site fará parte de um novo portal com lançamento previsto para os próximos dias, que busca sistematizar e disponibilizar as informações sobre a COVID-19. O espaço contará com seções como Rede Vírus MCTIC, com atividades promovidas pelo ministério; Infográfico Interativo (Visão), que permite a visualização de dados relacionados à COVID-19; e Universo Científico, com ações de disseminação de informações científicas para pesquisadores.

Para acessar o Ciência em Casa MCTIC, clique aqui.

Lucas Guedes, Núcleo de Comunicação Social do Ibict

Publicado em Notícias

A equipe do Canal Ciência promoveu, nesta quarta-feira (5), a primeira oficina de capacitação de professores de 2020. O evento aconteceu na escola Bem-Me-Quer, na Cidade Ocidental (GO), e contou com a presença das professoras que atuam na Educação Infantil e no Ensino Fundamental.

As oficinas direcionadas a docentes fazem parte de um dos projetos do Canal Ciência, serviço de divulgação científica do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict), além das já tradicionais ações específicas para crianças e adolescentes, sempre seguindo a premissa de que “a Ciência está em tudo”.

A coordenadora geral da escola, Diene Lima Araújo, soube do projeto por indicação da mãe de um aluno e, em seguida, entrou em contato com o Canal. “Fiquei bem interessada logo de início. Às vezes a criança não faz as tarefas porque não sabe pesquisar, então poderemos auxiliá-la e ensiná-la como fazer”.

Durante a oficina, ministrada por Joelma Carneiro e Abrão Rodrigues Neto, com apoio de Valquíria Leite, as professoras abordaram temas como estratégias de pesquisa na internet, identificação de sites e fontes confiáveis, plágio, referências bibliográficas e citações, além de questões como fake news e cyberbulling.

Didaticamente, Joelma e Abrão apresentaram às docentes maneiras simples de mostrar a seus alunos o passo a passo de uma pesquisa e ressaltaram a importância de que elas estejam sempre preparadas. “Quando temos propriedade do que fazemos na educação, estamos aprendendo a nos informar, a buscar uma informação correta, a informar o outro e fazer todo uso reflexivo e ético daquilo de que me apropriei naquele momento”, diz Joelma.

Joelma explica ainda que o trabalho do Canal, por meio do Ibict, vai ao encontro do conteúdo da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), documento de caráter normativo que define o conjunto orgânico e progressivo de aprendizagens essenciais que todos os alunos devem desenvolver ao longo das etapas e modalidades da Educação Básica.

Tatiane Miranda, professora do segundo ano na escola, relata que ficou curiosa quando divulgaram a oficina. “Estou maravilhada. Gostei muito e foi um grande aprendizado”, conta a docente.

Recentemente, o responsável pelo Canal, Wagner Fischer, foi entrevistado pela Rádio Nacional de Brasília e falou sobre a atividades desenvolvidas no projeto. O áudio da conversa pode ser acessado aqui.

Para saber mais sobre essas e outras ações, acesse o site do Canal Ciência.

Lucas Guedes

Núcleo de Comunicação Social

Publicado em Notícias

O Canal Ciência, uma iniciativa do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict), está com as inscrições abertas para realização de oficinas em escolas públicas e privadas do Distrito Federal. O público-alvo das atividades são as escolas do 6º ano do ensino fundamental até o ensino médio, mas inscrições de outras séries poderão ser avaliadas.

A visita da equipe do Canal Ciência envolve a realização de oficinas, jogos e outras ações educativas, com foco especial em pesquisa em competência em informação. Aplicando os conhecimentos de materiais didáticos, o estudante passa a reconhecer as necessidades de informar-se, ser informado e informar os outros sobre as diferentes mídias e suportes de comunicação. Nesse contexto estão incluídas ainda as discussões sobre o cyberbulling.

As oficinas compreendem também as questões legais e sociais que envolvem o uso da informação e a necessidade de se compartilhar, posteriormente, o conhecimento obtido nesse processo.

Os interessados devem enviar um e-mail para o Canal Ciência, com nome da escola, nome dos responsáveis, séries de interesse, contato e datas possíveis para a realização da visita. Clique aqui para saber os meios de contato com o Canal Ciência.

Como funcionam as oficinas: as oficinas do Canal Ciência/Ibict são iniciativas para conversas com crianças e adolescentes sobre ciência, tecnologia e inovação. A linguagem é de fácil compreensão, a fim de explicar o fazer ciência com clareza, tornando todo o processo divertido para as crianças e adolescentes.

A equipe do Canal Ciência tem como missão a constante busca pela excelência no desenvolvimento e produção de conteúdos de divulgação científica e tecnológica, promovendo serviços de popularização da ciência para o público em geral, especialmente para estudantes brasileiros em diversos níveis.

A ideia é familiarizar o público usuário com o método e o pensamento científicos e despertar seus interesses por assuntos e carreiras científicas, buscando orientar o uso ético-crítico-reflexivo de tecnologias digitais de comunicação para disseminar informações, produzir conhecimentos e subsidiar a resolução de problemas que visam formar cidadãos para exercer protagonismo e autoria na vida pessoal e coletiva, baseados na sólida premissa de que a ciência está em tudo.

Patrícia Osandón
Núcleo de Comunicação Social

Publicado em Notícias
Fim do conteúdo da página