Banner ACVCarinianaOasisbrManifesto

Sala de Imprensa

Evento internacional discute sociedades do conhecimento

Evento internacional discute sociedades do conhecimento

Brasil, Equador e Canadá discutem Sociedades do Conhecimeto

 

Com o objetivo de estimular e debater a criação de uma rede de cooperação nacional e internacional para propor políticas públicas voltadas ao desenvolvimento e à inovação,  aconteceu no auditório da Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos (Finatec), em Brasília, na segunda-feira (27), o evento Sociedades do Conhecimento Hoje: Ciclo Internacional de Debates.

O evento foi promovido pela Universidade de Brasília (UnB), por meio do seu Programa de Pós-graduação em Comunicação, em cooperação com a Unesco no Brasil, em parceria com o Núcleo de Multimídia e Internet (NMI) da UnB, a Universidade de Quebec em Montreal (UQÀM), o Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict), o Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.BR), e a Confederação Nacional da Indústria (CNI). O Ciclo de Debates reuniu instituições públicas e privadas do Brasil, Equador e Canadá. Na ocasião, foi lançada a versão em português do livro Renovando a Visão das Sociedades do Conhecimento para a Paz e o Desenvolvimento Sustentável de Robin Mansell e Gaëtan Tremblay.

Ao participar da mesa de abertura do Ciclo de Debates, Cecília Leite, diretora do Ibict, explicou que o instituto está voltado para a internacionalização do seu trabalho e para a sociedade do conhecimento, na qual a informação é o grande motor de desenvolvimento dos países.

“O Ibict se consolida como um instituto que perpassa as diferentes áreas do conhecimento e que está afinado com todo o conceito da sociedade da informação e com uma visão holística de que os saberes do conhecimento existem independentemente dos novos recursos tecnológicos existentes”, afirmou a diretora.

Cecília Leite disse ainda que “a virtude do processo que aproxima ciência da sociedade está no valor social do resultado alcançado por meio da socialização da tecnologia em Informação e Comunicação e em seus impactos no desenvolvimento sustentável e na equidade social”.  A diretora acrescentou que no atual cenário do Ibict e da sociedade do conhecimento novas ações estão em curso, como o acesso aberto à informação; a disseminação de produtos e serviços em redes sociais; a incorporação do Programa Sociedade da Informação; a Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD), com cerca de 300 mil documentos em textos completos; o Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER), com mais de mil revistas científicas brasileiras criadas e gerenciadas, entre outros produtos do Ibict.

Indrajit Banerjee, chefe de Seção em Educação, Ciência e Cultura do Setor de Comunicação e Informação da Unesco, observou que existe muita tecnologia hoje em dia, mas que a pergunta que deve ser feita é se essa tecnologia está sendo utilizada para melhorar a vida das pessoas.

“Nossos filhos possuem tecnologia para participar de redes sociais, jogos, bate-papos e se divertir. Mas vamos fornecer às pessoas o acesso à educação e ao emprego com isso? Então, eu acho que a grande questão na sociedade do conhecimento é de como elaborar o uso de todas essas informações que se tem para acessar o conhecimento, e como o conhecimento tem um impacto na sociedade em questões como a saúde, o meio ambiente, a educação, e outras. Então, todo o debate da sociedade do conhecimento tem sido uma moldura interessante, na qual se pode ver o uso na comunicação e na tecnologia de informação, e questionar isso”, salientou Banerjee.

Francisco Sierra Caballero, diretor do Centro Internacional de Estudios Superiores de Comunicación para América Latina (Ciespal), destacou em sua palestra que o debate visa uma cooperação entre os três países presentes ao evento em prol do acesso à informação livre, gratuita e autônoma. “Necessitamos de políticas públicas voltadas para a educação, com isso teremos a possibilidade de avançar ainda mais no desenvolvimento da nossa sociedade da informação. É importante salientar que é necessário que a sociedade, a indústria e a academia estejam juntas com o governo nessa caminhada”, destacou.

 

Daniela Cunha

Núcleo de Comunicação Social do Ibict

28/04/2015

Créditos da imagem: Núcleo de Multimídia e Internet- NMI - UnB

Data da Notícia: 29/04/2015 10:30