Banner ACVCarinianaOasisbr

Sala de Imprensa

Mapa da Inclusão Digital (MID) e suas novas tecnologias


Apresentam-se dados de 2012 referentes aos pontos de inclusão digital (PID) no país e sua nova linha de pesquisa de tecnologias de comunicação voltada  à disseminação de conteúdos digitais e ao mapeamento de acesso à internet por meio de dispositivos móveis.

Os recentes dados foram mostrados durante evento realizado no dia 05/12/12, pelo IBICT, e resultam do processamento estatístico das informações cadastrais do MID, em 2012.  Um novo modelo de análise e de exibição dos dados foi adotado, utilizando-se da ferramenta de inteligência Business Information (BI) da MicroStrategy, que se encontra em fase de adequação e testes para a base de dados do MID.

A análise dos dados utilizou parâmetros de distribuição geográfica por localização dos PID, conforme situados em áreas urbanas, não urbanas e capitais, respeitando a classificação do IBGE. A atualização dos dados resultou em um registro significativo dos PID, totalizando 28.800, enquanto em 2005, quando o mapeamento foi iniciado, o número era de 12.646.

A palestrante Maria de Nazaré Pereira, doutora em sociologia da ciência, destacou que a região Sudeste continua representando o maior número de PID no país, com 38%, seguido do Nordeste com 33%, que revelou avanço significativo, principalmente devido ao estado da Bahia, que avançou em seu programa de Inclusão Digital. Em terceiro lugar figura a região Sul com 12%, seguida do Norte com 9% e Centro-Oeste com 8%.

Anaiza Gaspar, coordenadora técnica do projeto, salientou a presença no evento de representantes de programas de Inclusão Digital, que disponibilizam periodicamente informações das entidades para a consolidação da base de dados do MID, tais como: José Avando, da Associação Telecentro de Informação e Negócios  (ATN), Lino Garcia, da Fundação Banco do Brasil, e Igmar de Freitas, representante do projeto Telecentro Maré do Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA). Destacou ainda a relevância da participação de todos os parceiros na construção do novo formato do MID que atuará como mapa on line colaborativo,  tendo em conta que esse é atualmente o único instrumento de registro e visualização do esforço de todas as iniciativas no Brasil.

Maria de Nazaré mencionou a realização de um estudo para a nova denominação de PID. Foram utilizadas metologias de organismos internacionais como referência para a geração da nova tipologia, que agrupa os PID nos seguintes formatos: PID-Gov: Pontos de Inclusão Digital Apoiados pelo Governo (federal, estadual e municipal); PID-Ts: Pontos de Inclusão Digital Apoiados pelo Terceiro Setor; PID-Esc-Gov: Pontos de Inclusão Digital em Escolas do Governo; e PID-Esc-Ts: Pontos de Inclusão Digital em Escolas do Terceiro Setor.

Na segunda parte do encontro, Anaiza Gaspar falou sobre a introdução de uma nova linha de pesquisa do MİD que se propõe a estimular o mapeamento de outras formas de inclusão digital trazidas pelos dispositivos móveis. A situação em foco considera “os cidadãos transitando por espaços conectados por redes sem fio, onde se estabelecem novas relações de usos e apropriações dos espaços urbanos, permitindo-lhes exercer maior protagonismo e papel ativo nas cidades” completou.

Em seguida foi apresentado o Projeto de Realidade Aumentada, em andamento no MID, por Maria de Fátima Tavares, doutora em história social. A tecnologia de Realidade Aumentada (RA) propicia que o usuário de dispositivo móvel possa associar informações digitais aos artefatos ou edificações existentes nas cidades.


De acordo com Maria de Fátima, a área ainda experimental da Realidade Aumentada possibilita agregar inovação tecnológica à produção de conteúdos, em especial os de referência cultural urbana. Também existe a possibilidade de interação, de identificação e contextualização de elementos da paisagem urbana em sistema de busca e envio de dados em redes de colaboração, considerando a instantaneidade da comunicação e a disponibilidade de aplicativos.

Com relação às perspectivas de futuro, Maria de Fátima observou que a ideia é utilizar tecnologias de RA para a promoção da equidade no acesso à informação e incentivar a formação centrada no conhecimento, considerando a experiência urbana e os processos criativos da cultura.  

Equipe do Mapa da Inclusão Digital (MID)

Fonte: Equipe do Mapa da Inclusão Digital (MID)

Data da Notícia: 12/12/2012 16:45