Banner ACVCarinianaOasisbr

Sala de Imprensa

23/09/2014

Ministro aponta cenário internacional favorável a universidades
Segundo Clelio Campolina, reorganização econômica e geopolítica abre oportunidade para Brasil aprimorar sistema acadêmico
http://www.brasil.gov.br/ciencia-e-tecnologia/2014/09/ministro-aponta-cenario-internacional-favoravel-a-universidades

Gargalos na transferência de tecnologia são debatidos durante seminário da Anprotec em Belém
As dificuldades na transferência de tecnologia entre o meio acadêmico e o setor produtivo foram discutidos nesta segunda-feira (22), em Belém (PA), durante o 24° Seminário Nacional de Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas
http://www.agenciacti.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=6258:gargalos-na-transferencia-de-tecnologia-sao-debatidos-durante-seminario-da-anprotec-em-belem&catid=1:latest-news

Fapitec e CNPq lançam chamada para atração de pesquisadores
A Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe  (Fapitec) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) convidam cientistas a apresentar propostas para obtenção de apoio financeiro, a partir de bolsas de Desenvolvimento Científico e Tecnológico Regional (DCR).
http://www.agenciacti.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=6262:fapitec-e-cnpq-lancam-chamada-para-atracao-de-pesquisadores&catid=1:latest-news

CNPq estimula a proteção do conhecimento com nova política de Propriedade Intelectual
As novas regras estimulam a inovação e facilitam as relações entre universidades, empresas e pesquisadores.  
http://www.cnpq.br/web/guest/noticiasviews/-/journal_content/56_INSTANCE_a6MO/10157/2148015

BID propõe políticas de estímulo à América Latina e Caribe
O objetivo é ajudar os tomadores de decisões a encontrar a combinação certa de políticas de desenvolvimento produtivo que levem em conta as realidades de cada país.
http://www.agenciacti.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=6257:bid-propoe-politicas-de-estimulo-a-america-latina-e-caribe&catid=1:latest-news

Capes defende contratação de professores por organizações sociais
O ministro [da Educação, José Henrique] Paim e o ministro [da Ciência e Tecnologia, Clelio] Campolina estão nos autorizando a fazer uma organização social para contratar, saindo do modelo clássico 
http://www.ebc.com.br/tecnologia/2014/09/capes-defende-contratacao-de-professores-por-organizacoes-sociais



O GLOBO - RJ - SOCIEDADE

Capes quer mais participação de universidades no programa Ciência Sem Fronteiras

Cotas de bolsas são medida em estudo, bem como maior intercâmbio

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) quer maior participação das universidades brasileiras na seleção e controle dos bolsistas do programa Ciência sem Fronteiras (CsF). Jorge Guimarães, presidente do órgão ligado ao MEC, diz uma das medidas estudadas são cotas (número específico) de bolsas para cada instituição de ensino superior, que ficaria responsável pelo processo seletivo dos estudantes.

— Continuaremos tendo as regras gerais, como 600 pontos no Enem e proficiência em línguas. Mas a escolha seria da universidade, com cotas de bolsas para as instituições selecionarem os alunos. Isso facilitaria o controle,.

Atualmente, há cerca 86.100 bolsistas do CsF em 11 países, a maioria (17.152) nos Estados Unidos. Segundo o presidente da Capes, como existem resistências no governo em relação às cotas de bolsas por universidades, há outros benefícios previstos para a inclusão das instituições brasileiras no processo, incluindo um intercâmbio maior de estudantes para o Brasil:

— As instituições brasileiras fariam acordos com as estrangeiras, via Capes ou CNPq, que ficariam responsáveis pela parte financeira. Isso implicaria em dizer que também queremos estudantes de fora aqui.

Guimarães minimizou o episódio em que a Science without Borders UK (SWB UK) enviou email no para todos os cerca de 90 estudantes de graduação brasileiros matriculados na Universidade de Southampton, no Reino Unido, reclamando da falta de empenho acadêmico. Posteriormente, a empresa que intermedia os contratos estudantis com a instituição, pediu desculpas pelo transtorno e disse que a mensagem foi enviada por um erro administrativo e que o alerta era para “poucos alunos”, em casos específicos de baixo desempenho, que seriam “pontuais”.